"Querida, você tem um coração na garganta"
Minha avó

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Melhor do que o pôr-do-sol na praia ou posso esquecer o biquíni, mas o livro não!

Estava eu, feliz e bronzeada na praia, quando constatei que havia levado apenas um livro na bagagem, (tudo bem que era a Divina Comédia, mas). Isso porque me preparei para ficar um final de semana, mas, como férias são férias, arrastei minhas horas na areia, e um final de semana transformou-se em 15 dias. Procurei atrasar a leitura, entretanto não consegui, terminei o livro ainda no décimo dia. Com as mãos vazias, e certa de que passaria os próximos dias sem nada para ler (exceto aquelas revistas horríveis de moda e beleza que sempre alguém deixa na casa de praia) descobri uma espécie de biblioteca em plena sorveteria. Trata-se da sorveteria Rocha de Boiçucanga, cujos atendentes disponibilizaram seus livros para os clientes do estabelecimento. Encontramos lá Balzac, Moravia, Maupassant, Borges, etc. Segundo um dos atendentes, o dono dos livros, na tentativa de salvá-los da maresia, do mofo e do esquecimento, passou a disponibilizá-los aos freqüentadores da sorveteria. Os livros podem ser emprestados por um tempo indeterminado, e, mesmo assim, a maioria deles (que atinge um grande número diário) é devolvida inteira e intacta. Parabéns ao pessoal da sorveteria Rocha de Boiçuca pelo incentivo à leitura!

4 comentários:

Lucia B disse...

Nossa, que vontade de ir para ... Onde, mesmo? Boiçu ... se deixo assim até parece nome francês, "buassí", mas é tão mais interessante na sua rima com "leituras na canga"...

Vera Helena disse...

Pois é! Aqui em São Paulo também temos nossa praia, Lúcia! Adorei, leituras na canga!

Beijos

alyson daas disse...

adoro aquele lugar!
bjoka
minha ídola da literatura moderna!

Vera Helena disse...

Lys, ou melhor, querida Flor de Lys, aquele lugar é mágico não? Obrigada, imagine!