"Querida, você tem um coração na garganta"
Minha avó

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Anotações elucidativas para melhor entendimento da dita "alegria intransitiva"

Estava me sentindo bem naquela manhã. Uma espécie de alegria sincrônica, um rombo no peito simultâneo ao que me dessem como garantia de vida naquela manhã. Certa música que ouvisse antes de ligar o rádio, de fato. Uma frase dita, antes que alguém pensasse em abrir a boca. Uma ligação importante concomitante (odeio esta palavra!) ao meu desejo de ser importante. “Não pode ser, tudo tão perfeito!”, pensei. *

* fragmento de um conto inacabado meu (um dia...)

4 comentários:

Ana Maria disse...

aiai que a senhora cala minha alma... saudade!!!

bjokas

Anônimo disse...

Inspiração total! Só entrando no txto para sentí-lo mais e mais ...Lindo , como sempre!!!

Andrea disse...

Adorável fragmento. Vé, escreva sempre, tá?
Beijos!

Vera Helena disse...

Muito obrigada, amores! Andrea, você também, hein!

Beijos