"Querida, você tem um coração na garganta"
Minha avó

quinta-feira, 19 de março de 2009

Devaneios de um caminhante solitário

"A vontade de olhar para o interior das coisas torna a visão aguçada, a visão penetrante. Transforma a visão numa violência. Ela detecta a falha, a fenda, a fissura pela qual se pode violar o segredo das coisas ocultas. A partir dessa vontade de olhar para o interior das coisas, de olhar o que não se vê, o que não se deve ver, formam-se os devaneios tensos, devaneios que formam um vinco entre as sobrancelhas. (...) E o ser que sonha com planos de profundidade nas coisas acaba por determinar em si mesmo planos de profundidade diferentes" (Bachelard, 1990; p.7,8)

Do meu próximo artigo na revista Kalíope, em que analiso as múltiplas personas de Rousseau em Devaneios de um caminhante solitário

4 comentários:

Raskólhnikov disse...

onde encontro a revista?

Vera Helena disse...

Raskólhnikov (um dos meus personagens preferidos!)
Você encontrará neste link:

http://www.pucsp.br/pos/lcl/?fncnav=openpag&id=42&titulo=Pesquisa

edição 7, que ainda não saiu.

Abraços,

Vera

Lu disse...

Vé,
Ja estou louca pra ler o seu artigo, deu agua na boca!
Manda o link quando sair!
Saudades e beijos

Vera Helena disse...

Lú, assim que sair envio pra vc. Que bom que quer de lê-lo!

Beijos e saudades,