"Querida, você tem um coração na garganta"
Minha avó

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Manias Parte i²

O sorriso constante de meus lábios machucados provém da minha inabilidade no trato com as pessoas, e não desta “bondade” que insistem em incluir na lista de minhas qualidades, a qual é bem pequena, diga-se.

7 comentários:

Douglas Vian disse...

Querida Vera

A qualidade que vemos nas pessoas, não vêm necessariamente do sorriso ou expressão facial, mas sim das atitudes e principalmente do hálito espiritual emanado.

Seu admirador
Douglas Vian

Hugo Harris disse...

Hummm... Fato ou ficção? Gosto de sua maneira de refletir seu eu e criar poesia com isso. A consciência de si é algo louvável, mas não tome isso como disfarce.
Humildemente podemos nos atribuir defeitos, mas não pense que tudo se limitará ao juízo de si. Nossos interlocutores acabam por ultrapassar os lábios e adentrar as famosas janelas da alma – como tantos já descreveram – e, ao afagá-la, descobre verdades alternativas que às vezes estão encobertas.
Quem sabe o singelo sorriso seja fruto de uma inabilidade e, ao mesmo tempo, o filigrana de qualidades imersas que nem sempre podemos transparecer.

Hugo H.

Andrea disse...

Oi Vé querida! Li seu comentário no blog, mas eu estou tão enrolada remodelando todo o meu projeto, que não consigo mais tempo pra escrever nada além do próprio.
Mais uma vez, amei passar por aqui e ler vc. Beijos!

Lucia B disse...

Morde os lábios, tira deles uma gota de sangue com que temperar as palavras, e depois sorri...
Beijíssimos

Vera Helena disse...

Meninos, nasci no dia primeiro de abril, sou uma mentirosa por excelência. Andrea, saudades, sei que está na correria, o problema é que sou uma leitora egoísta. Lúcia, que gostoso você por aqui... Adorei e seguirei feliz seu conselho.

Abraço a todos,

Anônimo disse...

syl vian Vé , adorei seu 'poema' , mas fico em dúvida se corresponde ou não à realidade , pois , para quem nasceu dia 1 de abril ,nem sempre a fantasia é pura e nem sempre a realidade traduz a verdade Creio que você as mistura com a habilidade que lhe pertence como um poema reencarnatório da Clarisse Lispector Voces duas , hein?

Vera Helena disse...

sylvi, que gostoso você por aqui. Na realidade, a poeta é minha mãe, que concebeu uma vera no dia primeiro de abril (um oximoro, não?)
Beijos e saudades,

PS: Clarice Lispector!?!? Por favor, nem tanto!