"Querida, você tem um coração na garganta"
Minha avó

terça-feira, 10 de abril de 2007

Dicionário fragmentado

Arranha-céu S.m. Urb. Impressão imediata quando, à sombra de um edifício, ergo meus olhos ao rasgado céu de São Paulo

Anoitece [De anoitecer + o pl. de tristeza] V.i. À noite, a noite tece, tece noite

Água-oxigenada S.f. Inf. Água oxigena o nada, quando submerso, meu corpo (copo) vazio.

3 comentários:

ana rüsche disse...

querida vera,

tenho que dizer que fiquei muito feliz com tua pergunta, o poema realmente parece incrível. sou suspeita pq acho "todesfuge" (ou "fuga da morte") o melhor que já li em minha vida.

entretanto, não conheço o tal poema não... dei até uma boa vasculhada na net, em PT e em DE, mas não o encontrei.

colo abaixo alguns resultados, que se não forem o próprio, ao menos são muito bonitos.


beijinhos
------------------

http://puragoiaba.blogspot.com/2002_10_01_puragoiaba_archive.html

http://www.arlindo-correia.com/301100.html

http://www.revistazunai.com.br/traducoes/paul_celan.htm

http://puragoiaba.blogspot.com/2002_03_01_puragoiaba_archive.html

http://ruialme.blogspot.com/search/label/Paul%20Celan

http://www.ruedigersuenner.de/paul%20celan.html

Murilo Hildebrand de Abreu disse...

Maravilhoso texto. E é verdade: o que escrevi é muito parecido mesmo.

É a noite e suas surpresas sempre maravilhosas.

bjs,

Murilo

Vera Helena disse...

Muito obrigada, Murilo. Mas, sinceramente, prefiro sua poesia!

De fato, a noite e suas surpresas.

bjs

Vera